Was ist Atom?

Das Atom ist das  kleinste und stabilste Teilchen, das alle Eigenschaften eines Elements beibehält  , also der kleinste messbare Teil der Materie. Atome bestehen aus kleinen Teilen, die subatomare Teile genannt werden. Dazu gehören Protonen, Neutronen und Elektronen.

Inhalt

O que é um átomoO que é uma estrutura atômicaPartes de um átomoO núcleoA crostaO que são modelos atômicosModelo atômico de BohrModelo atômico de RutherfordModelo atômico de ThomsonModelo atômico de DemócritoQual é o número atômicoComo localizar um número atômicoComponentes de átomosClassificação de átomosO que é um átomoElementos de um átomoPrótonsElétronsNêutronsIsótoposComo os elementos de um átomo são definidosO que é um modelo atômicoModelo atômico de BohrAlbert EinsteinModelo atômico de DaltonModelo atômico de RutherfordMassa atômicaNúmero atômico
Darüber hinaus verbinden sie sich zu Molekülen, die durch Wechselwirkung Feststoffe,  Flüssigkeiten  und Gase bilden. Der Kern und die Protonen sind die beiden Regionen, in denen Atome entstehen. Im Kern befinden sich die Protonen, während sich die Elektronen in den Neutronen befinden.

Was ist ein Atom?
Formaler ausgedrückt stellt sich die Frage: Was ist ein Atom? Es kann als das kleinste Teilchen definiert werden,  in das ein Element zerlegt werden kann  , ohne seine chemischen Eigenschaften zu verlieren. Als diese Teilchen benannt wurden, glaubte man, dass sie nicht geteilt werden könnten, obwohl heute bekannt ist, dass Atome aus sehr kleinen Teilchen, den sogenannten subatomaren Teilchen, bestehen, die Teil dessen sind, was ein Atom ist.

Das Atom  war in der Antike Gegenstand von Debatten  . Es heißt, die Griechen hätten viel über die Natur der Materie gestritten und seien zu dem Schluss gekommen, dass die Welt einfacher sei, als sie schien.
Im 5. Jahrhundert v. Chr. Chr. behauptete Leukipp, dass es nur eine Art von Materie gäbe und glaubte, wenn wir Materie in immer kleinere Teile teilen, würden wir ein Stück erhalten, das nicht mehr zerschnitten werden kann. Demokrit nannte diese Stücke Atome („ohne Teilung“).
Was ist eine Atomstruktur?
Eine Atomstruktur ist die Anordnung der kleinsten Elemente, aus denen sie besteht (Atome, Elektronen, Protonen, Neutronen, Kerne), und die die  Eigenschaften  jedes einzelnen Materials definieren. Das ist es, was eine atomare Struktur darstellt.
Teile eines Atoms
Die Teile eines Atoms enthalten zwei grundlegende Strukturen:  den Kern und die Kruste  .

Der Kern
Es ist der  zentrale Teil des Atoms  und enthält Teilchen mit positiver Ladung, Protonen und Teilchen, die keine elektrische Ladung haben, das heißt Neutronen sind neutral. Ein Proton hat die gleiche Masse wie ein Neutron.
Alle Atome eines chemischen Elements haben im Kern die gleiche Anzahl an Protonen. Diese Zahl, die jedes Element charakterisiert und voneinander unterscheidet, ist die Ordnungszahl und wird durch den  Buchstaben Z dargestellt  .
die Kruste
Es ist der  äußere Teil des Atoms  . Hier sind die negativ geladenen Elektronen. Sie sind auf unterschiedlichen Ebenen angeordnet und umkreisen den Kern. Die Masse eines Elektrons ist etwa 2000-mal kleiner als die eines Protons.
Atome sind elektrisch neutral, weil sie genauso viele Protonen wie Elektronen haben. Daher entspricht die Ordnungszahl auch der Anzahl der Elektronen.

Was sind Atommodelle?
Unter Atommodellen versteht man die verschiedenen mentalen Darstellungen der Struktur und Funktionsweise von Atomen  , die im Laufe der Menschheitsgeschichte entwickelt wurden und auf den Vorstellungen basieren, die in jeder Epoche in Bezug auf Materie behandelt wurden.
In der klassischen Antike entwickelten Philosophen und Naturforscher die ersten Atommodelle, es gelang ihnen auch, auf die Zusammensetzung der Dinge zu schließen. Insbesondere im 20. Jahrhundert gab es die ersten Fortschritte in der Erforschung von Atomen, wo Fragen der Atommanipulation aufkamen: Atombomben und Kernkraftwerke.
Bohrs Atommodell
Bohrs Atommodell  zeigt das Atom als einen kleinen positiven Kern, der von Elektronen in kreisförmigen Hüllen um den Kern umgeben ist  . Mit Hilfe der Quantentheorie von Planck, der Lichtspektren der Elemente und der Kerntheorie von Rutherford gelang es Bohr 1913, ein neues Atommodell zu etablieren, bei dem Elektronen Kreise um den Kern beschreiben.
Bohrs Modell war eine Modifikation des Rutherford-Modells, sodass die Eigenschaften eines kleinen zentralen Kerns und mit dem größten Teil der Masse beibehalten wurden. Ebenso kreisen Elektronen um den Kern, ähnlich wie Planeten um die Sonne, obwohl ihre Umlaufbahnen nicht flach sind.

Rutherfords Atommodell
Wird auch als Planetenmodell bezeichnet. Entwickelt im Jahr 1911. Thomson stellte in seinem Modell fest, dass sich  Elektronen in einem positiv geladenen Medium befinden  . Rutherfords Assistenten Geiger und Marsden führten jedoch 1909 eine als „Blattgoldexperiment“ bekannte Studie durch, die zeigte, dass das „Thomsons Plumpudding-Modell war falsch. Sie zeigten, dass das Atom eine Struktur mit einer stark positiven Ladung hatte.
Dieses von Rutherford entworfene und überwachte Experiment führte zu Schlussfolgerungen, die in Rutherfords 1911 vorgestelltem Atommodell mündeten.
Ernest Rutherford. Er lebte vom 20. August 1871 bis 19. Oktober 1937.
Thomsons Atommodell
Auch als Plumpudding-Modell bekannt. Entwickelt im Jahr 1904. Der britische Wissenschaftler Sir Joseph John Thomson  entdeckte das erste subatomare Teilchen  , das Elektron. JJ Thomson entdeckte 1897 negativ geladene Teilchen durch ein Experiment mit einer Kathodenstrahlröhre.

Joseph John Thomson. 18. Dezember 1856 – 27. Juli 1844.
Thompsons Ideen waren wie folgt:

Protonen und Elektronen sind Teilchen mit gleicher Ladung, aber entgegengesetztem Vorzeichen.
In einem neutralen Atom ist die Ladung Null, da die Anzahl der negativen Elektronen gleich der Anzahl der positiven Protonen ist.
Ein Atom hat die Form einer Kugel mit einem Radius von 0,00000001 cm, in der die Protonen und Elektronen zufällig verteilt sind.
A massa dos elétrons não é levada em consideração devido à sua insignificância, então a massa do átomo é igual à massa dos prótons .

Foi assim que Thomson sugeriu que o átomo era uma esfera sólida de material carregado positivamente com elétrons negativos aprisionados, como passas em um bolo ou pudim.
Modelo atômico de Demócrito
En los modelos atómicos, los destacados físicos Dalton, Bohr, Einstein y Rutherford no fueron los primeros en hablar del átomo, de hecho, la misma palabra «átomo» fue creada por el filósofo griego Leucipo de Mileto y su discípulo Demócrito en los 450 años antes de Cristo.

Esses filósofos gregos deram uma contribuição brilhante para a ciência moderna, semeando as sementes da teoria atômica. De acordo com Demócrito, o universo e tudo ao nosso redor são compostos de átomos e representam um modelo atômico.
Qual é o número atômico
Atômico significa relativo ao átomo, a menor porção em que um elemento químico pode ser dividido , mantendo suas propriedades.
Como localizar um número atômico
Para localizar um número neutro, é conveniente levar em consideração como um átomo é formado e suas propriedades são dadas pelo número de partículas que ele contém. O que distingue alguns elementos químicos de outros é o número de prótons que seus átomos possuem no núcleo. Esse número é chamado de número atômico e é representado pela letra Z.
Ele é colocado como um subscrito à esquerda do símbolo do elemento correspondente. Por exemplo, todos os átomos do elemento Hidrogênio têm 1 próton e seu Z = 1, os do hélio têm 2 prótons e Z = 2, os do lítio, 3 prótons e Z = 3.

Se o átomo for neutro, o número de elétrons coincide com o dos prótons e é dado por Z.

O átomo (do latim atomum , e este por sua vez do grego a- , que significa “não”, e tomo , que significa “divisível) é definido como o componente fundamental da matéria . Cada átomo possui propriedades fundamentais que o caracterizam e o diferenciam de outros tipos de átomos, como tamanho, massa (ou quantidade de matéria), as cargas elétricas resultantes das interações de suas partículas (que podem ser positivas, negativas ou neutro) e nível de energia.
Durante as reações químicas , os átomos não são criados nem destruídos, mas são reorganizados em novas moléculas por meio da liberação de energia. Embora átomos de elementos como hidrogênio e hélio sejam muito comuns, os átomos mais pesados ​​são gerados apenas no interior das estrelas , em condições de temperatura e pressão extremas.
Existem até átomos artificiais , assim chamados porque não são encontrados livremente na natureza, mas só podem ser produzidos por curtos períodos de tempo em laboratórios e centros de pesquisa.

Componentes de átomos
Os átomos são compostos de um núcleo atômico , onde a maior parte de sua massa está concentrada, uma vez que o resto do átomo é principalmente espaço vazio . O núcleo, por sua vez, é composto de dois tipos diferentes de partículas subatômicas: prótons , que têm carga elétrica positiva, e nêutrons , que são eletricamente neutros.
Ao redor desse núcleo atômico, existe uma nuvem de elétrons , que são partículas com carga elétrica negativa e que orbitam em torno do núcleo ao longo de orbitais que estão a distâncias diferentes do núcleo, dependendo do nível de energia que possuem.
Ao longo da história da física, houve diferentes modelos atômicos que tentaram explicar a natureza e o funcionamento dos átomos, como o modelo atômico de Rutherford, o modelo atômico de Bohr e o modelo atômico probabilístico (ainda em vigor hoje em dia).
Classificação de átomos
Os átomos são classificados de acordo com certas propriedades, o que permite que eles sejam classificados através da Tabela Periódica dos Elementos , que nos permite distinguir os diferentes elementos químicos que compõem o Universo.

Dentre essas características que permitem classificá-las, temos primeiro o número atômico (representado pela letra Z), que representa a quantidade de prótons que o átomo possui em seu núcleo e que por sua vez determina a qual elemento químico o átomo pertence. em questão. Por outro lado, existe também o número de massa , que é a soma do número de prótons e nêutrons (e que é representado pela letra A).
Os átomos também podem ser classificados de acordo com os isótopos que apresentam, ou seja, átomos do mesmo elemento químico, mas que possuem diferentes quantidades de nêutrons em seu núcleo.
Os isótopos podem ser mais ou menos estáveis, no caso de isótopos altamente radioativos (como o urânio) ou isótopos de grande utilidade científica (como os isótopos de carbono, que são usados ​​para datar matéria orgânica).
Um átomo é a menor unidade de partículas existente como uma substância simples , podendo intervir em uma combinação química. Ao longo dos séculos, o conhecimento limitado que se tinha sobre o átomo era apenas objeto de conjecturas e suposições, de modo que dados concretos só puderam ser obtidos muitos anos depois. Nos séculos 18 e 19, o cientista inglês John Dalton sugeriu a existência dos átomos como uma unidade extremamente pequena , da qual toda a matéria seria composta, e atribuiu-lhes massa e os representou como esferas sólidas e indivisíveis.

O que é um átomo
É a unidade mínima de matéria , da qual os sólidos, líquidos e gases são compostos. Os átomos são agrupados, podendo ser do mesmo tipo ou diferentes, para formar moléculas, que, por sua vez, constituem a matéria de que são compostos os corpos existentes. No entanto, os cientistas determinaram que apenas 5% da matéria no universo é composta por átomos, uma vez que a matéria escura (que ocupa mais de 20% do universo) é composta por partículas desconhecidas, assim como a energia escura (que ocupa 70%).
Seu nome vem do latim atomus, que significa “indivisível” , e quem lhe deu essa terminologia foram os filósofos gregos Demócrito (460-370 aC) e Epicuro (341-270 aC).
Esses filósofos, que sem ter experimentado, na busca de uma resposta à pergunta de que nos compõem e da explicação da realidade, concluíram que era impossível dividir a matéria infinitamente , que deveria haver um “topo”, o que significava que teria atingido o limite mínimo de que todas as coisas são compostas. Chamaram esse “topo” de átomo, já que essa partícula mínima não poderia mais ser dividida e o universo seria composto dela. Deve-se acrescentar que esse conceito ainda é preservado hoje no que diz respeito ao que é um átomo.
É constituído por um núcleo, onde existe pelo menos um próton e o mesmo número de nêutrons (cuja união é chamada de “núcleon), e pelo menos 99,94% de sua massa se encontra no referido núcleo. O 0,06% restante é formado pelos elétrons que orbitam o núcleo. Se o número de elétrons e prótons for o mesmo, o átomo é eletricamente neutro; se tiver mais elétrons do que prótons, sua carga será negativa e será determinada como um ânion; e se o número de prótons exceder os elétrons, sua carga será positiva e chamada de cátion.

Seu tamanho é tão pequeno (aproximadamente dez bilionésimos de um metro ) que se um objeto fosse dividido um número considerável de vezes, não haveria mais nada do material de que foi feito, mas os átomos dos elementos permaneceriam. em combinação, eles o formaram, e estes são praticamente invisíveis. No entanto, nem todos os tipos de átomos têm a mesma forma e tamanho , pois isso dependerá de vários fatores.
Elementos de um átomo
Os átomos têm outros componentes que os constituem, chamados de partículas subatômicas , que não podem existir independentemente, a menos que sob condições especiais e controladas. Essas partículas são: elétrons, que têm carga negativa; prótons, que são carregados positivamente; e nêutrons, cuja carga é igual, o que os torna eletricamente neutros. Prótons e nêutrons são encontrados no núcleo (o centro) do átomo, formando o que é conhecido como núcleo, e os elétrons orbitam o núcleo.
Prótons
Essa partícula está no núcleo do átomo , formando parte dos núcleons, e sua carga é positiva. Eles contribuem com cerca de 50% da massa do átomo, e sua massa é equivalente a 1836 vezes a de um elétron. No entanto, eles têm um pouco menos massa do que os nêutrons. O próton não é uma partícula elementar, pois é composto de três quarks (que é um tipo de férmion, uma das duas partículas elementares existentes).
O número de prótons em um átomo é decisivo na definição do tipo de elemento. Por exemplo, o átomo de carbono tem seis prótons, enquanto um átomo de hidrogênio tem apenas um próton.

Elétrons
Eles são as partículas negativas que orbitam o núcleo do átomo. Sua massa é tão pequena que é considerada descartável. Normalmente, o número de elétrons em um átomo é o mesmo dos prótons, então ambas as cargas se cancelam.
Os elétrons de diferentes átomos são ligados pela força de Coulomb (eletrostática), e quando compartilhados e trocados de um átomo para outro, causa as ligações químicas. Existem elétrons que podem ser livres, sem estar ligados a algum átomo; e aqueles que estão ligados a um, podem ter órbitas de tamanhos diferentes (quanto maior o raio orbital, maior a energia contida nele).
O elétron é uma partícula elementar, pois é um tipo de férmion (léptons), e não é constituído por nenhum outro elemento.
Nêutrons
É a partícula subatômica neutra do átomo, ou seja, possui a mesma quantidade de carga positiva e negativa. Sua massa é ligeiramente superior à dos prótons , com os quais forma o núcleo do átomo.

Como os prótons, os nêutrons são compostos de três quarks: dois descendentes ou descendentes com carga -1/3 e um ascendente ou ascendente com carga +2/3, resultando em uma carga total de zero, o que lhe confere neutralidade. Um nêutron por si só não pode existir fora do núcleo, pois sua vida média fora do núcleo é de cerca de 15 minutos.
A quantidade de nêutrons em um átomo não determina sua natureza, a menos que seja um isótopo.
Isótopos
Eles são um tipo de átomo, cuja composição nuclear não é eqüitativa ; ou seja, tem o mesmo número de prótons, mas um número diferente de nêutrons. Nesse caso, os átomos que compõem o mesmo elemento serão diferentes, diferenciados pelo número de nêutrons que contêm.
Existem dois tipos de isótopos:

Natural , encontrado na natureza, como no caso do átomo de hidrogênio, que possui três (prótio, deutério e trítio); ou o átomo de carbono, que também tem três (carbono-12, carbono-13 e carbono-14; cada um com diferentes utilidades).
Artificiais , que são produzidos em ambientes controlados, nos quais partículas subatômicas são bombardeadas, sendo instáveis ​​e radioativos.

Existem isótopos estáveis, mas essa estabilidade é relativa, pois, embora sejam radioativos da mesma forma, seu período de decaimento é longo se comparado à existência do planeta.
Como os elementos de um átomo são definidos
Um átomo será diferenciado ou definido por vários fatores, a saber:

Quantidade de prótons: a variação neste número pode resultar em um elemento diferente, pois determina a qual elemento químico ele pertence.
Número de nêutrons: especifica o isótopo do elemento.

A força com que os prótons atraem os elétrons é eletromagnética ; enquanto o que atrai prótons e nêutrons é o nuclear , de intensidade maior que o primeiro, que repele prótons carregados positivamente uns dos outros.
Se o número de prótons em um átomo for alto, a força eletromagnética que os repele se tornará mais forte do que a nuclear, há uma probabilidade de que os núcleos sejam expulsos do núcleo, produzindo decaimento nuclear, ou o que também é conhecido como radioatividade .; para posteriormente resultar na transmutação nuclear, que é a conversão de um elemento em outro (alquimia).

O que é um modelo atômico
É um esquema que ajuda a definir o que é um átomo, sua composição, sua distribuição e as características que apresenta. Desde o nascimento do termo, diferentes modelos atômicos foram desenvolvidos, o que nos permitiu compreender melhor a estruturação da matéria.
Os modelos atômicos mais representativos são:
Modelo atômico de Bohr
O físico dinamarquês Niels Bohr (1885-1962), após estudos com seu professor, o químico e também físico Ernest Rutherford, inspirou-se no modelo deste último para expor o seu próprio, tomando o átomo de hidrogênio como guia .
O modelo atômico de Bohr consiste em uma espécie de sistema planetário , em que o núcleo está no centro e os elétrons se movem como planetas, em órbitas estáveis ​​e circulares, onde o maior armazena mais energia. Inclui a absorção e emissão de gases, a teoria de quantização de Max Planck e o efeito fotoelétrico.

Albert Einstein
Os elétrons podem pular de uma órbita para outra: se passar de uma de menor energia para outra de maior energia, aumentará um quantum de energia para cada órbita que atingir; O oposto ocorre quando ele passa da energia mais alta para a mais baixa, onde não só diminui, mas também a perde na forma de radiação como a luz (fóton).
No entanto, o modelo atômico de Bohr tinha falhas, pois não era aplicável para outros tipos de átomos.
Modelo atômico de Dalton
John Dalton (1766-1844), matemático e químico, foi o pioneiro na publicação de um modelo atômico com base científica, no qual afirmava que os átomos eram semelhantes a bolas de bilhar, ou seja, esféricos.
O modelo atômico de Dalton estabelece em sua abordagem (que ele chamou de “teoria atômica”) que os átomos não podem ser divididos . Também estabelece que os átomos do mesmo elemento são de qualidades idênticas, incluindo seu peso e massa; que embora possam ser combinados, eles permanecem indivisíveis com relacionamentos simples ; e que eles podem ser combinados em diferentes proporções com outros tipos de átomos para criar vários compostos (união de dois ou mais tipos de átomos).

Este modelo atômico de Dalton era inconsistente , porque não explicava a presença de partículas subatômicas, uma vez que a presença do elétron e do próton era desconhecida. Nem poderia explicar os fenômenos da radioatividade ou da corrente de elétrons (raios catódicos); além disso, não leva em consideração os isótopos (átomos do mesmo elemento com massa diferente).
Modelo atômico de Rutherford
Criado pelo físico e químico Ernest Rutherford (1871-1937), esse modelo é uma analogia ao sistema solar . O modelo atômico de Rutherford estabelece que a maior porcentagem da massa do átomo e sua parte positiva encontram-se em seu núcleo (centro); e a parte negativa ou elétrons, giram em torno dela em órbitas elípticas ou circulares, com um vácuo entre eles. Assim, tornou-se o primeiro modelo a separar o átomo em núcleo e córtex.
O físico fez experimentos, nos quais calculou o ângulo de espalhamento das partículas ao atingirem uma folha de ouro, e percebeu que algumas ricocheteavam em ângulos incongruentes, concluindo que seu núcleo devia ser pequeno, mas de grande densidade. Graças a Rutherford, que foi aluno de JJ Thomson, também se teve a primeira noção sobre a presença de nêutrons. Outra conquista foi levantar questões sobre como cargas positivas no núcleo poderiam permanecer juntas em um volume tão pequeno, o que mais tarde levou à descoberta de uma das interações fundamentais: a força nuclear forte.
O modelo atômico de Rutherford era inconsistente, pois contradizia as leis de Maxwell sobre o eletromagnetismo ; nem explica os fenômenos de radiação de energia na transição de um elétron de um estado de alta para baixa energia.

Modelo atômico de Thomson
Foi exposto pelo cientista e ganhador do Prêmio Nobel de Física de 1906, Joseph John Thomson (1856-1940). O modelo atômico de Thomson descreve o átomo como uma massa esférica carregada positivamente com elétrons inseridos nela , como um pudim de passas. O número de elétrons neste modelo foi suficiente para neutralizar a carga positiva, e a distribuição da massa positiva e dos elétrons foi aleatória.
Ele fez experiências com raios catódicos: em um tubo de vácuo, ele passou os raios de corrente com duas placas, produzindo um campo elétrico que os desviou. Assim, ele determinou que a eletricidade era composta de outra partícula; descobrir a existência de elétrons.
No entanto, o modelo atômico de Thomson foi breve, nunca tendo aceitação acadêmica . Sua descrição da estrutura interna do átomo estava incorreta, assim como a distribuição de cargas, não levava em consideração a existência de nêutrons e não se sabia sobre prótons. Nem explica a regularidade da Tabela Periódica dos Elementos.

Apesar disso, seus estudos serviram de base para descobertas posteriores, uma vez que a partir desse modelo, sabia-se da existência de partículas subatômicas.
Massa atômica
Representada pela letra A , a massa total dos prótons e nêutrons contidos em um átomo é chamada de massa atômica , sem levar em conta os elétrons, pois sua massa é tão pequena que pode ser descartada.
Isotope sind Variationen von Atomen desselben Elements mit der gleichen Anzahl an Protonen, aber einer unterschiedlichen Anzahl an Neutronen, sodass ihre Atommasse unterschiedlich sein wird, selbst wenn sie sehr ähnlich sind.
Ordnungszahl
Es wird durch den Buchstaben Z dargestellt   und bezieht sich auf die  Anzahl der in einem Atom enthaltenen Protonen  , die mit der Anzahl der darin enthaltenen Elektronen identisch ist. Mendeleevs Periodensystem der Elemente von 1869 ist vom kleinsten zum größten nach der Ordnungszahl geordnet.

Go up